NOTÍCIAS
Confira como foi o primeiro dia do Fórum Gols pela Vida
23/10/2014

Nesta quinta-feira, 23, teve início em São Paulo o Fórum Internacional Gols pela Vida, do Instituto Pelé Pequeno Príncipe. O evento, que acontece em dois dias, tem o apoio da Federação Paranaense de Futebol e trata de assuntos de responsabilidade social no esporte, envolvendo profissionais de diversas partes do mundo.

O primeiro dia de palestras e debates teve início com a apresentação de autoridades ligadas ao esporte ou à responsabilidade social. Participaram da abertura do Fórum o diretor-coorporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro, que recebeu o paranaense Evandro Rogério Roman, o secretário de Esportes, Lazer e Recreação de São Paulo, Celso Jatene, o chefe de Esportes e Desenvolvimento do UNICEF, Rodrigo Fonseca, o conselheiro do secretário-geral da ONU, Wilfried Lemke, e o ministro dos Esportes do Governo Federal, Aldo Rebelo.

Após a abertura, José Alvaro da Silva Carneiro falou sobre o Complexo Pequeno Príncipe e o envolvimento inicial de Pelé, formando assim o Instituto Pelé Pequeno Príncipe, que teve início em 2005. Durante a apresentação, Carneiro mostrou a importância da ajuda ao Instituto e ao Hospital, que chegam a atender mais de mil crianças por dia, com a missão de aumentar o percentual de cura de doenças complexas em crianças e adolescentes. De acordo com o diretor, de 2007 até o ano passado, ocorreram mais de dois milhões de atendimentos.

Com apenas onze horas em solo brasileiro, o alemão Wilfried Lemke, que estava representando o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon para o Esporte, Desenvolvimento e Paz, assumiu a palavra para tratar da educação de meninos e meninas ao redor do mundo. Há três anos, o conselheiro criou um programa de liderança entre jovens, que atua principalmente com crianças na África. Para ele, existem bons exemplos de pessoas que alcançaram o sucesso, como Didier Drogba e Samuel Eto’o, mas Lemke ressalta que são poucas as crianças que conseguem alcançar marcas expressivas na vida adulta.

Outra posição importante destacada pela ONU seria a igualdade entre gêneros, além da inclusão social. “Todos nós sabemos que, independente do lugar no mundo, todos temos que incluir as pessoas na sociedade e não exclui-las”, comentou. Além disso, o alemão citou também que toda criança necessita de bons exemplos e amor. “Nossas crianças precisam de amor e exemplos enquanto crescem. Precisam saber o que é bom, trabalhar, ajudar, serem agradecidas”, completou.

No início da tarde, foi a vez de Ana Moser e Daniela Castro assumirem o bate-papo. A ex-jogadora de vôlei é a presidente da organização Atletas do Brasil, da qual Daniela Castro é diretora executiva. A dupla tratou de assuntos como a transparência de recursos utilizados por Federações e Confederações, gestão de dirigentes, democratização do esporte e, principalmente, a ajuda no avanço esportivo no Brasil. Para a organização Atletas do Brasil, é importante o ingresso de crianças no esporte desde cedo, nas escolas, além da universalização da educação.

Pouco depois, para tratar da responsabilidade da mídia no legado social do esporte, foram à frente o jornalista, Leonardo Mendes Júnior, o comentarista Paulo Calçade e o consultor Erich Beting. O trio abriu espaço para um debate com os participantes sobre a responsabilidade da mídia na divulgação de assuntos de responsabilidade social no esporte.

Para encerrar o primeiro dia, foi ao microfone a coordenadora do MBA “Sports Philanthropy”, da George Washington University, dos Estados Unidos, Lisa Delpy Neirotti. E para tratar do Bom Senso F.C., voltaram ao bate-papo Leonardo Mendes Júnior e Paulo Calçade, que receberam a companhia dos diretores executivos do Bom Senso, Ricardo Borges Martins e Enrico Ambrogini.

Fotos: Julia Abdul-Hak/Backstage Comunicação

Fonte: Assessoria de Imprensa